A importância da contabilidade de custos para transportadoras

A importância da contabilidade de custos para transportadoras

empresas de transporte

20 jan A importância da contabilidade de custos para transportadoras

A contabilidade de custo é um ramo, uma subdivisão da Contabilidade Geral de uma empresa, com a finalidade de demonstrar um estudo racional dos gastos feitos, informando os custos das vendas de produtos, mercadorias e serviços. Ou ainda, a contabilidade de custos é qualquer sistema de registro específico de contas que mostra os elementos de custo que incidem na produção.

O principal objetivo da análise da contabilidade de custos das empresas é o de servir de suporte como ferramenta dentro do processo de gestão, cuidando do planejamento, controle e informação atribuídos a boa gestão empresarial. De uma forma geral, o custo é classificado em:

  • Custos fixos – são aqueles que não sofrem alteração de valor em caso de aumento ou diminuição da produção, independem do nível de atividade, como: limpeza e conservação, aluguéis de equipamentos e instalações, salários da administração.
  • Custos variáveis – são aqueles relacionados com os volumes de produção ou de vendas. São custos que variam de acordo com o índice de produção. São exemplos: matéria prima, comissão de vendas, contas de energia elétrica e água.
  • Custos diretos – são aqueles que podem ser adequadamente identificados com os bens produzidos ou com os serviços prestados, como matéria prima e mão de obra direta.
  • Custos indiretos – são aqueles incorridos no processo de fabricação de bens ou na prestação de serviços, que precisam de rateio para serem identificados, como a depreciação de produtos, aluguéis e salários dos empregados.

Para as empresas transportadoras, a contabilidade de custos é de suma importância, visto que o índice relativo ao gasto na prestação de serviços, interfere de forma significativa nos resultados da empresa de transportes.

O valor do preço do frete, que é a “mercadoria” negociada pelas transportadoras, muitas vezes segue acompanhando o valor de mercado, sem saber ao certo se este valor corresponde às expectativas financeiras da empresa de transporte. Também há transportadoras que se utilizam de tabelas e planilhas prontas, para calcular o valor do frete.

Nas tabelas, são considerados alguns itens para apuração do custo das transportadoras, como: classificação pelo tipo de carga transportada (peso e volume), classificação pela distância (pedágio).

Classificação de custos por tipo de carga transportada

Conforme o tipo de carga, exige serviços e equipamentos diferentes. Não é o mesmo transportar um transformador de grande porte que atenderá à uma usina ou uma carga de travesseiros para atender à uma loja. A logística é totalmente diferente. É lógico que no transporte do transformador envolve a mobilização de um contingente bem maior.

Na tabela de custos por tipo de carga transportada, classifica-se em:

  • Carga itinerante – despacho de cargas fracionadas sujeitos a prazos de entrega e distribuição por todo o país.
  • Carga urgente – despacho de cargas fracionadas sujeitos a prazos de entrega.
  • Carga comum – despacho de cargas fracionadas não sujeitos a prazos de entrega.
  • Carga industrial – despachos de cargas com mais de 4000 kg, com cargas predominantemente industriais, não sujeitos a prazos de entrega.
  • Grandes massas – transporte de grande quantidade de produto, ou produto transportado a granel, em veículos com grande capacidade.
  • Fertilizantes, granel sólido – transporte de grãos que não requerem tratamento especial, porém utiliza equipamento para contenção de carga.
  • Outras cargas específicas como veículos zero quilômetro, bebidas, produtos perigosos e cargas volumosas – que exigem veículo adaptado de acordo com a carga.

Basicamente a composição do custo do frete é composta pelo valor do:

  • Frete peso – tem como base o peso da mercadoria, incluindo custos diretos, indiretos, operacionais do veículo;
  • Frete valor –  custo proporcional ao valor da mercadoria transportada;
  • GRIS – taxa de Gerenciamento de Risco, relacionada ao valor da mercadoria e ao gerenciamento de risco relativos ao roubo de cargas;
  • Taxas – relativo a taxas de despacho, coleta e entrega da mercadoria;
  • Valor do pedágio – tarifa paga ao poder público.

Em suma, calcular o custo para transportadoras não é fácil. Porém, nada que um profissional competente de contabilidade não consiga fazer com maestria e capacidade, atividades características da profissão.

Conhecendo seus custos o gestor das empresas de transporte tem condições de definirem estratégias para redução dos mesmos e obter maior lucratividade, sem abandonar a qualidade na prestação de serviços – fato essencial para a sobrevivência qualquer empresa.

Nenhum Comentário

Postar um comentário