Como expandir a empresa para fora do país com a Gestão de Multinacionais

Como expandir a empresa para fora do país com a Gestão de Multinacionais

Gestão de Multinacionais

10 nov Como expandir a empresa para fora do país com a Gestão de Multinacionais

Gerenciar uma multinacional não é uma tarefa fácil. É preciso ter um controle total sobre todas as ações que você precisa realizar, e ainda lidar com múltiplas diferenças!

Para saber como expandir a empresa para fora do país, é preciso compreender as divergências de idioma, de fuso-horário e de culturas, que podem fazer com que um gestor tenha muitos problemas ao tomar decisões a ao comandar seu negócio.

A gestão de multinacionais é algo que tem se tornado comum. As fronteiras geográficas não se aplicam aos empreendimentos de hoje em dia, devido à internet. Mas, ao mesmo tempo, alguns desafios surgem neste caminho. E, para isso, é necessário estar sempre atento, para evitar que imprevistos prejudiquem as suas estratégias de mercado.

Como lidar com culturas diferentes

Cada país tem sua própria cultura, seu jeito de negócios e de estabelecer parcerias. Esses valores diferentes influenciam diretamente na forma de pensar em uma organização. E isso interfere também na movimentação financeira presente entre duas empresas.

Uma ideia seria criar programas de computador para a gestão de multinacionais. Com isso, uma empresa interessada em se internacionalizar saberá como se portar diante de um potencial cliente de outro país – de acordo com as culturas da nação ao qual ele representa.

Além disso, há também a questão do fuso-horário, o maior desafio na gestão de multinacionais. Caso não seja possível negociar com um cliente internacional em uma reunião direta e presencial, reuniões precisam ser marcadas em horários que agradem as duas partes. E com isso, podem ser realizadas durante a noite ou madrugada, dependendo do local onde está o cliente.

Um exemplo: se uma empresa do Brasil for negociar com uma empresa do Japão (onde são 12 horas de diferença de fuso), em reuniões com gestores dos dois países, um destes terá de se reunir no horário da noite, e o outro durante o início da manhã, em um horário acessível para ambas as partes.

E se o idioma for muito diferente?

Existem milhares de idiomas falados e praticados no mundo inteiro. Felizmente, existem aquelas línguas que estão se tornando uma unanimidade quando se trata de negociações, como o inglês, por exemplo. Mas também existem aquelas empresas que preferem negociar no seu idioma de origem, por questões relacionadas com a sua cultura.

Portanto, falar mais de um idioma é um bom passo para a gestão de multinacionais. O inglês é muito importante, mas aprender um pouco de espanhol, alemão, francês e também o mandarim (língua mais falada do mundo) pode fazer a diferença em um momento tenso de negociação.

Em último caso, ter um tradutor pode fazer a diferença. Dessa forma, se evita o risco de que algo não seja bem compreendido, e todas as partes possam então se ajudar e formalizar algum tipo de parceria.

Gerir multinacionais não é fácil, mas pode dar certo

Os primeiros caminhos para quem está internacionalizando uma empresa podem não ser tão fáceis, mas é possível superar os desafios da gestão de multinacionais. O mais importante de tudo é ter foco em seus objetivos, a fim de aprimorar o seu negócio cada vez mais!

Você tem alguma dúvida? Entre em contato conosco! Será um prazer falar com você e ajudar na expansão do seu negócio!

Nenhum Comentário

Postar um comentário