Armadilhas mentais sobre o dinheiro: Como evitar?

Armadilhas mentais sobre o dinheiro: Como evitar?

direcional

19 ago Armadilhas mentais sobre o dinheiro: Como evitar?

A ciência pode ajudar você a comprar, vender ou investir melhor. Isso porque uma análise da maneira como a mente lida com o dinheiro através das suas armadilhas mentais permite bloquear o que é negativo para a sua vida.

O consumo está ligado a dois sentimentos: medo e desejo.

Talvez você não perceba mas o seu cérebro promove uma briga naquele momento em que você está dentro de uma loja e observa um objeto, toca, experimenta, circula com ele na mão. E enfrenta o dilema entre necessidade e vontade, afinal, para levar qualquer coisa dali você deverá desembolsar dinheiro. E nem sempre vale a pena, nem sempre você tem dinheiro sobrando para fazer um agrado. E toda atitude exagera de consumo resulta em dívidas. E se mesmo assim você decidir levar, é porque caiu em uma armadilha mental.

Como funcionam as armadilhas mentais

Cientistas estão descobrindo as justificativas para as atitudes do consumidor, da compra realizada por impulso. Uma dessas explicações define que quanto mais tempo o produto for tocado, maior será a conexão criada, portanto, a disposição para pagar o preço que for aumenta, testes mostraram que as pessoas pagaram mais que o dobro por um produto após segurá-lo por 30 segundos.

Isso porque desde sempre o cérebro foge de situações desafiadoras, não percebemos, mas estamos a todo instante buscando conforto.

Muitas técnicas de vendas são baseadas no bem-estar do cliente. Os vendedores são treinados a fazer o cliente se sentir especial e relacionar a aquisição do produto com elevação da autoestima.

Não é nova a constatação de que as decisões econômicas são tomadas em um embate entre a razão e a emoção.

 

Como evitar se prejudicar com as armadilhas mentais

– Ao sair para comprar um presente, vá com o dinheiro contado. Assim, evita acabar comprando algo para mais alguém ou para você já que o cartão de crédito está por perto.

– Supermercado somente com lista e alimentado. Inclusive com as crianças também conscientes da tarefa, que deve ser objetiva.

– Se bater uma vontade incontrolável de comprar algo, estabeleça uma comparação: quantas idas ao cinema você deixará de lado para ter aquilo. Realmente importa e vale mais que a sua satisfação de fazer algo que gosta.

– Momentos de raiva, estresse ou TPM, não combinam com compras, são verdadeiros inimigos.

– E aproveite a lição da pesquisa e da sua mãe: olhar é com os olhos. Evite tocar e circular pela loja com o seu objeto-desejo.

As armadilhas mentais que prejudicam os investidores

Quando você está pensando sobre os seus investimentos, você é racional ou emocional?

Quando se trata de investimento, há três principais armadilhas mentais muito perigosas:

– O efeito manada é uma reação humana natural, porque observamos o comportamento alheio e decidimos as nossas ações baseadas naquilo que estamos vendo. Então um corre-corre pode não ser um arrastão, o restaurante mais vazio pode não ser mais caro ou ter pior atendimento, e as ações que todos estão comprando pode não ser o melhor investimento. Lembre-se de uma expressão muito comum entre investidores: especulação. Cuidado.

– Confiança é muito bem vida, mas o excesso dela faz com as pessoas superestimem seus conhecimentos e subestimem os riscos. Agora, aplique essa fórmula em um investimento. É garantia de insucesso.

– Quem lida com investimentos, ainda que em pequena escala, não pode, repito, simplesmente não pode ignorar os números. Em um cassino, as chances da bola cair na cor preta ou na cor vermelha da roleta serão sempre as mesmas, ainda que nas últimas dez vezes tenha caído em uma das cores. O contrário disso, nada mais é que superstição.

Nenhum Comentário

Postar um comentário